Como escolher a escolinha

Como vocês já sabem, estamos nos preparando para a entrada da Julia na escolinha. Vou falar um pouco sobre o que levamos em conta nessa escolha tão importante. O melhor a fazer é pesquisar bastante e antecipadamente, diversas escolinhas para escolher uma que passe mais confiança, se encaixe no orçamento e na rotina da família. Tudo tem que ser observado, desde o projeto pedagógico, até as salas de aulas.

São muitos itens a ser levados em conta, mas vale a pena ter esse trabalho, já que a escola será o lugar onde a criança passará uma boa parte do dia sem a nossa supervisão. Nesse post eu conto um pouco sobre tudo o que eu pesquisei sobre o assunto e como foi a nossa experiência nessa escolha.

Essa lista de requisitos para escolher a escolinha é bem ampla, mas é melhor ter esse trabalho agora, do que descobrir os defeitos depois e ter que mudar a criança de escola no meio do ano. Espero que essas dicas ajudem vocês a fazer a melhor escolha!

 Indicação

Ao pesquisar escolinhas, devemos levar em consideração indicação de outras pessoas. Antes de visitar as escolas, eu conversei com vizinhos e amigos sobre a escola de seus filhos. As indicações que recebi, com as informações positivas e negativas sobre as escolas que eu pretendia visitar me ajudaram muito a decidir. Quando visitar uma escola, é interessante ir no período de aulas e tentar conversar com alguma mãe que já tenha filhos matriculado para pedir opinião. Eu tive oportunidade de conversar com uma mãe que já tinha a filha matriculada em uma das escolas que eu tinha visitado. Ela me deu ótimas referências e isso me deixou mais segura.

Visita

Visitar a escola é indispensável para ter uma primeira impressão do lugar. Alguns berçários preferem agendar visitas, mas no geral a escola não deve negar o acesso a todas as instalações. Caso a visita seja feita no período de aulas, é importante observar se as outras crianças que estudam na escolinha são bem cuidadas e tratadas com carinho.

Uma boa sugestão é levar a criança para visitar a escola e observar a sua reação. Também é importante observar como os funcionários da escola tratarão a criança durante a visita. No nosso caso, levamos a Julia a duas das escolas. Ela adorou as duas e se divertiu brincando no parquinho do pátio. Mas em uma das escolas, percebi que ela foi melhor acolhida e recebeu muita atenção da coordenadora e professoras. Acabamos optando por esse escola, pois a atitude dos profissionais nos passou mais segurança.

Proposta pedagógica

Em primeiro lugar, é importante ter certeza se a escola tem autorização de funcionamento expedida pela Secretaria Municipal de Educação. Além disso toda escola deve ter a sua proposta pedagógica escrita, como um documento. Proposta Pedagógica, Plano Pedagógico ou Projeto Pedagógico, é o que orienta as atividades da escola, o que ela ensina para as crianças.   A maioria das escolas infantis visam em sua proposta pedagógica estimular o aprendizado das crianças, além de promover a socialização e ensinar valores de cidadania e ética.

Hoje em dia existem diferentes linhas pedagógicas para o estímulo desse aprendizado na educação infantil. Algumas das linhas pedagógicas mais adotadas nas escolas brasileiras são a escola construtivista, a escola montessoriana, a escola waldorf, entre outras propostas. Cada uma dessas linhas pedagógicas aborda a educação de uma forma diferente, mas não dá pra aprofundar o assunto nesse post. Pode ser interessante pesquisar e conhecer um pouco sobre cada uma dessas propostas antes de pesquisar uma escola para o seu filho, para se manter informado sobre o assunto.

Seja qual for a proposta pedagógica adotada pela escola, ela tem que estar de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Veja abaixo o o Artigo 3º dessa lei para ter uma ideia melhor do que uma escola infantil deve oferecer.

Art. 3º […]

I – As Propostas Pedagógicas das Instituições de Educação Infantil devem respeitar os seguintes fundamentos norteadores:

a) Princípios éticos da Autonomia, da Responsabilidade, da Solidariedade e do Respeito ao Bem Comum;

b) Princípios Políticos dos Direitos e Deveres de Cidadania, do Exercício da Criticidade e do Respeito à Ordem Democrática;

c) Princípios Estéticos da Sensibilidade, da Criatividade, da Ludicidade e da Diversidade de Manifestações Artísticas e Culturais.

As creches/pré-escola devem oferecer oportunidades para as crianças desenvolverem a autonomia, a responsabilidade, a solidariedade e o respeito ao bem comum. Temos que saber nossos direitos e deveres, as leis e as regras que organizam a vida em sociedade.

 

Independente da linha pedagógica, o que uma criança mais precisa nessa fase é ser acolhida com cuidado, carinho e respeito, em um ambiente agradável e saudável. Na pré-escola é fundamental que a criança tenha garantido acima de tudo o direito de brincar e se socializar. Escolas que programam muitas atividades para a educação infantil correm o risco de cansar e sobrecarregar as crianças.

Outro alerta é sobre provas de seleção para a entrada de crianças na educação infantil, muitas vezes nomeados pelas escolas como “vestibulinhos”, “teste de sondagem” ou mesmo “Atividade lúdico-pedagógica”. Alguns pais que desejam matricular o seu filho em uma boa escola particular, têm que enfrentar uma verdadeira maratona para conseguir a vaga, incluindo um teste de seleção com a criança. Esse tipo de prática pode ser muito estressante para toda a família e acabar em frustração caso a criança não seja selecionada. Qualquer que seja o nome dado pela escola, qualquer tipo de seleção desse tipo é proibida, baseado no art. 31 da Lei nº 9.394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional). Confira abaixo um trecho do artigo:

As propostas Pedagógicas para a Educação Infantil devem organizar suas estratégias de avaliação, através do acompanhamento e registros de etapas alcançadas nos cuidados e educação para crianças de 0 a 6 anos, sem o objetivo de promoção, mesmo para o acesso ao Ensino Fundamental.

Eu particularmente, descartei as escolas que aplicam testes de seleção para as crianças da pré-escola. Acho desnecessário expor uma criança tão pequena a um teste, correndo o risco de não ser selecionada. Para mim, o objetivo de uma escolinha infantil é acolher e não excluir.

Comunicação pais x escola

A comunicação com os pais é muito importante e deve ser levada em conta. Em todas as escolas eu perguntei como era feita a essa comunicação, se através de uma agenda da criança ou contato direto com os pais.  Nas primeiras semanas de adaptação é importante que a comunicação seja direta, para que a gente saiba como a criança está se adaptando à rotina.

Também é importante saber se as reuniões com os pais, são frequentes e em horários adequados à participação das famílias. A escola deve incentivar a participação ativa dos pais, que devem ser envolvidos na organização das das atividades desenvolvidas com as crianças .

Formação da equipe de professores/cuidadores

O nível de educação e experiência dos profissionais que tomam conta das crianças na escola é super importante. Ao visitar a escola, devemos perguntar qual a formação dos professores e cuidadores e se eles fazem cursos regularmente para se atualizar. A formação mínima dos professores deve ser em nível superior, em cursos de Licenciatura, voltada para a educação infantil.

Se for possível, pode ser interessante conhecer os profissionais que lidam com as crianças diariamente para observar se são pessoas carinhosas e atenciosas. Eu tive a oportunidade de conhecer algumas professoras da escolinha da Julia durante a colônia de férias e pude observar como elas tratam as crianças. Isso me deixou super tranquila, sabendo que a minha filha vai ser cuidada por bons profissionais.

Tamanho das turmas

Se uma criança em casa dá muito trabalho, imagine uma turma de várias crianças da mesma idade! As turmas da educação infantil devem ser reduzidas para que as professoras possam dar atenção a cada criança. Por isso é importante perguntar quantas professoras ou berçaristas há por criança. Confira abaixo a quantidade ideal de criança por profissional:

•    0 a 2 anos – 6 a 8 crianças por sala
•    3 anos – 15 crianças por sala
•    4 até 6 anos – 20 crianças por sala

Aspectos físicos da escola

Segurança

Segurança deve ser uma prioridade na escola infantil. Uma escola segura deve manter o portão de entrada sempre trancado e ter controle para o acesso de desconhecidos. Confira abaixo o que observar:

  • O portão da escola deve estar sempre fechado e ter alguém responsável que controle a entrada e saída das pessoas;
  • O prédio da escola deve estar em bom estado de conservação;
  • Deve haver extintores de incêndio espalhados pelas instalações;
  • A escola deve ter procedimentos preestabelecidos que devem ser tomados em caso de acidentes;
  • A escola deve ser acessível para todos, com rampas, corrimão nas escadas e rampas e piso anti derrapante;
  • Deve ter proteção nos acessos às escadas;
  • Se a escola tiver uma piscina, esta deve ser cercada e quando não estiver em uso, deve ser protegida com tela apropriada;
  • De preferência, as salas do ensino infantil devem ser no térreo da escola;
  • Os brinquedos da área externa devem ser bem conservados;
  • Em todo o ambiente onde as crianças têm acesso, não devem haver objetos pequenos que podem ser engolidos ou que ofereçam qualquer perigo às crianças.

Instalações

Quanto aos ambientes da escola, existem alguns itens importantes a ser observados, com relação ao conforto das crianças, funcionários e dos familiares. A escola não precisa necessariamente ser grande, mas o local deve ter uma área interna que comporte bem a quantidade de criança que a escola vai receber. Além disso, é importante ter uma área externa, para que as crianças possam fazer atividades ao ar livre.

As salas de atividades e demais ambientes internos e externos devem ser agradáveis, limpos, ventilados e tranquilos. Deve haver um local adequado para receber os pais ou familiares e uma área tranquila destinada para aleitamento materno.

Conforto térmico

As salas de aula devem ser arejadas, ventiladas e bem iluminadas. Também é importante verificar se as salas recebem sol direto nas épocas mais quentes do ano. As salas devem ter uma temperatura agradável tanto no verão quanto no inverno.

Devemos verificar se não há indícios de umidade e infiltrações de água nas paredes, o que pode acumular mofo durante a estação chuvosa. Não é aconselhável ter aquecedores ou ar condicionado em ambientes com muitas crianças. Por isso, o ideal são salas com janelas grandes que deixem o ar circular em dias quentes e que possam ser fechadas em dias mais frios.

Limpeza, organização e manutenção

Toda escola deve ter  o Alvará Sanitário afixado em lugar visível. O Alvará é o documento emitido pela Autoridade Sanitária após análises das condições higiênico-sanitárias de estabelecimentos.

Quanto às condições de limpeza, devemos observar:

  • Se o chão, as paredes, os corredores, os banheiros e a cozinha são limpos e bem zelados;
  • Se o lixo é retirado diariamente dos ambientes internos e externos;
  • Se os brinquedos são limpos e em bom estado;
  • Se não tem cheiro de mofo ou qualquer outro cheiro forte que possa causar alergias respiratórias;
  • Se o fraldário é limpo e organizado.

Rotina

Na educação infantil, a rotina é muito importante, com atividades que se repetem regularmente, criando uma rotina para as crianças. Quando a escola informa antecipadamente as atividades que serão desenvolvidas, as crianças sabem o que esperar e sentem-se mais confiantes. Ao mesmo tempo essa rotina deve ser flexível e se adequar ao ritmo e às necessidades de cada criança. É importante perguntar sobre a rotina seguida na escola e sobre tudo o que acontece no dia-a-dia das crianças.

Atividades propostas

Brincar é muito importante, estimula a imaginação e o aprendizado da criança. Na educação infantil a brincadeira deve ser prioridade e guiar o aprendizado e as experiências. Os brinquedos devem ser apropriados para cada idade e estar disponíveis e ao alcance das crianças.

A escola deve oferecer uma programação de acordo com a idade das crianças, incluindo atividades físicas, brincadeiras, tempo de descanso, atividades em grupo e individuais, além de refeições.

Algumas escolas oferecem atividades esportivas e artísticas incluídas no currículo. Desde que não tenham um caráter de obrigação ou competitividade, essas atividades podem ser benéficas. O ideal é que sejam desenvolvidas no horário de aula e não após o período, para que não se tornem cansativas. A escola que escolhemos para a Julia oferece natação e musicalização incluídas nas atividades diárias. Além disso, oferecem atividades opcionais como dança, que nós dispensamos por enquanto para não ficar muito cansativo.

Higiene e saúde

Uma escola infantil deve ter normas de higiene bem estabelecidas e instalações que permitam essa rotina, como local adequado para lavar as mãos, fraldários e banheiros adaptados para as crianças maiores.

Algumas escolas aconselham aos pais deixarem a criança em casa, quando estiver doente e outras têm um local para a permanência de crianças com alguma doença infecto contagiosa, como gripes e resfriados. Escolas que oferecem salas de repouso ou ambulatórios podem ser bem convenientes para pais que trabalham o dia inteiro. Nesse caso a escola deve garantir  que as crianças saudáveis não tenham contato com crianças que estejam doentes.

Como medida preventiva, a escola deve exigir cópia da carteira de vacinação no ato da matrícula. Algumas também exigem exame médico e atestado assinado pelo pediatra.

 Período de adaptação

No período de adaptação à escola, algumas crianças choram ou ficam retraídas. Por isso a escola deve ter um período de adaptação da criança, que deve ser de uma a duas semanas, com permanência dos pais. O período de adaptação deve ser organizado com antecedência pela escola envolvendo as famílias em atividades semelhantes às que as crianças vivenciarão no dia a dia.

Durante a adaptação, a escola deve aumentar a cada dia o período de permanência da criança, até que esta se sinta segura. Os professores e cuidadores devem companhar com mais atenção as crianças que choram e consolá-las para que criem segurança.

A escola deve oferecer orientação aos pais para esse período. Na escolinha em que a Julia está matriculada, haverá uma reunião com os pais antes da início das aulas, para explicar como é feito o processo de adaptação. Sabendo como vai ser esse período, é mais fácil preparar a criança.

Aspectos práticos

 Localização

A localização da escola deve ser considerada na hora da escolha. De preferência, a escola deve ser o mais próximo possível de casa, mas no caso de mães que trabalham fora, pode ser mais conveniente uma escola perto do seu trabalho. A rotina pode se tornar muito cansativa se a escola for muito distante.

Nós tivemos sorte de ter 3 escolas bem próximas e optamos por uma delas. Assim podemos ir e voltar a pé, usando o carro só quanto realmente for necessário. Na minha opinião, temos que  fazer o possível para simplificar. Quanto menos tempo se gasta pra levar a criança à escola, mais tempo sobra para organizar a rotina.

 

Valor

O orçamento familiar deve ser bem estudado para que o custo com a escola não pese demais e desequilibre os gastos. Muitas escolas oferecem atividades extracurriculares e outras vantagens e comodidades que custam caro. Depois de somar todas as despesas envolvidas na escolinha, a conta pode ficar bem alta. Por isso, sempre é bom perguntar sobre todas as taxas cobradas além da matrícula e somar tudo com cuidado. Descartamos algumas escolas que cobravam muitas taxas além da mensalidade, porque ao longo do ano a conta pode pesar no bolso. A escola que escolhemos oferece praticamente tudo incluído na mensalidade, o que é mais prático, porque você só tem uma conta pra se preocupar.

 

Voltas às Aulas 10x Sem juros 728x90

Deixe um comentário

2 Comentários em "Como escolher a escolinha"

Notify of
avatar
Sort by:   newest | oldest | most voted
trackback

[…] Leia também: Como escolher a escolinha […]

trackback

[…] Leia também: Como escolher a escolinha […]

wpDiscuz