Guia completo – Como escolher a melhor roupa de banho infantil

Como escolher as melhores roupas de banho para as crianças? Quando se trata das roupinhas de nossos filhos, devemos ser muito exigentes com relação ao conforto e segurança das crianças.

A roupa de banho deve ser segura, ter boa modelagem e ser confortável. Encontrar uma opção que cumpra todos esses critérios, pode ser difícil e levar a muitas dúvidas. Nesse post eu reuni algumas dicas de como comprar essas peças mais indicados para cada fase da criança, levando em conta o material e as necessidades do seu filho. Também falo um pouco da minha experiência com a Julia.

 

img_20161012_084716

A roupa deve ser segura

Quando se trata de roupa infantil a segurança deve vir em primeiro lugar. Pode ser difícil imaginar como uma roupa poderia trazer risco para a criança, mas o fato é que ainda ocorrem muito acidentes envolvendo roupas infantis. Os principais cuidados a serem tomados na hora da compra são:

  • O tecido deve ser adequado ao uso infantil. É importantíssimo conferir a etiqueta de composição.
  • A roupa deve ter bom acabamento para evitar incômodos ou machucados na pele da criança. Até mesmo as etiquetas de composição devem ser feitas em materiais mais macios, que não piniquem ou irritem a pele da criança.
  • A roupa não deve ser larga ou longa demais, para não correr o risco de a criança ficar presa pela roupa em algum lugar.
  • A roupa não deve ser apertada demais que dificulte os movimentos da criança.
  • Roupas de cores mais claras, absorvem menos calor.
  • Cordões e fitas decorativos ou funcionais, devem ser curtos, de no máximo 15 cm, para evitar o risco de a criança se prender em algum lugar.

Para manter a criança segura, considere comprar uma boa boia para a piscina.Mesmo se os pais quiserem segurar o bebê ao invés de colocá-lo em uma boia, um traje de banho com boias embutidas é recomendado como precaução. Nunca deixe o bebê desacompanhado na piscina, mesmo se ele estiver usando uma roupa de banho com boia.

Roupa de banho com boia da marca Little Toggs

 

Para saber mais, leia o post NORMAS DE SEGURANÇA PARA ROUPAS INFANTIS

 

Proteção UV para roupas de praia

A foto proteção para vestuário é um recurso muito eficaz contra a nocividade dos raios solares e está sendo muito utilizada para roupas infantis. As roupas com proteção UV foram desenvolvidas na Austrália e consiste em um banho químico que confere à roupa proteção em até 98% contra raios UVB e UVA. As roupas brasileiras também passam por uma certificação de qualidade antes de serem comercializadas, avaliada pela própria ARPANSA (Agência Australiana de Proteção à Radiação e Segurança Nuclear).

Eu ainda não investi em uma roupa de banho que utiliza esse recurso. Como moramos perto da praia, nos programamos para ir bem cedo da manhã ou no final da tarde, quando o sol não está tão forte. Aproveito para levar a Julia para tomar banho de sol e é importante estar com a maior parte do corpo descoberta e sem filtro solar, para permitir que a vitamida D seja sintetizada. Geralmente saímos pela manhã às 7:00h e passamos no máximo 1 hora na praia ou saímos à tarde por volta das 16:00h, quando o sol já está bem fraco. Mas sei que à medida que a criança cresce, quer ficar mais tempo na praia pra aproveitar. Quando a Julia estiver nessa faze, aí sim eu vou ter que pensar em comprar uma roupa que proteja mais.

Para quem não tem a opção de escolher os horários de sol mais fraco, como eu, é preciso se prevenir. Se você mora longe da praia e costuma passar o dia todo, seria interessante investir em modelos de blusinhas com mangas compridas com filtro solar, pois mesmo à sombra, nos horários de pico do sol, a pele da criança é atingida pela radiação.

 

 

A roupa deve ter boa modelagem 

  • Para comprar roupa de criança, o conforto também é um fator muito importante.
  • A roupa deve ser do tamanho certo para a idade da criança, nem muito folgada, nem muito justa;
  • Prefira roupas de banho com poucos detalhes, pois quanto mais complicado o modelo, menos confortável a criança fica;
  • Os fechos e regulares são melhores do que as faixas de amarrar, que podem se soltar durante a brincadeira;
  • Para bebês, a roupa de banho deve ser fácil de tirar na hora da troca de fralda. Para as crianças que estão aprendendo a usar o vaso sanitário, a roupa também deve ser fácil de tirar, para evitar acidentes.

Tecidos

É muito importante fazer a escolha correta do material da a roupa de banho da criança. Há diversos tipos de materiais, que deve ser escolhido de acordo com a idade e atividade a ser desenvolvida pela criança.

 

Fibras sintéticas

Os materiais mais utilizados pela indústria de moda praia são de fibras sintéticas, como o poliéster e a poliamida. A grande vantagem dos tecidos sintéticos é que secam com facilidade, amassam pouco, são leves, mantêm a cor por mais tempo e esticam.

Por outro lado esquentam muito, as cores claras tendem a amarelar, podem provocar cheiros desagradáveis, são mais frágeis ao atrito com superfícies ásperas e derretem com a altas temperaturas (não pode passar a ferro!).  Além de tudo isso as fibras sintéticas podem causar alergias e irritações em peles sensíveis.

Já falei aqui no blog sobre os riscos dos tecidos sintéticos para crianças e da importância em optar por roupas de fibras naturais. Mas como sempre, o bom senso é o melhor caminho para as nossas escolhas.

No caso das roupas de banho, não há problema em a criança usar durante algum tempo, já que não se trata de uma roupa do dia-a-dia. O importante nesse caso é o tempo de permanência da criança com a roupa, quanto menor a criança, menos tempo ela deverá usar uma roupa de tecido sintético, principalmente se estiver úmida.

Como foi dito acima, tanto o poliéster quanto a poliamida são tecidos criados a partir de fibra sintética na confecção de roupas de praia. Aqui eu vou explicar um pouco mais sobre cada um desses tecidos e qual as diferenças entre eles.

 

Poliamida

A poliamida foi criada nos anos 1930 e é considerada a mais nobre das fibras sintéticas por ser mais resistente, de baixa absorção de umidade e ter um toque mais macio. Sua produção é feita a partir de quatro elementos básicos, extraídos respectivamente: do petróleo (ou gás natural), do benzeno, do ar e da água (carbono, nitrogênio, oxigênio e hidrogênio). É preciso ter em mente que a poliamida, mesmo sendo uma excelente matéria-prima, é um tecido sintético, logo podendo acarretar alergias.

Vantagens
  • Leve e macia;
  • Não encolhe e nem deforma;
  • Resistente ao uso;
  • Resistente aos fungos e às traças;
  • Fácil tratamento;
  • Seca rapidamente;
  • Aquece pouco;
  • Favorece a transpiração do corpo.

 

Desvantagens
  • Sensível à luz;
  • Tem tendência a reter poeira e sujeira;
  • Mancha com facilidade;
  • Não absorve umidade;
  • Encolhe com o calor;
  • Não resiste a produtos químicos.

 

Poliéster

Já o poliéster, criado nos anos 1950, é a mais barata das fibras sintéticas.  As principais Matérias-Primas são Ácido Tereftálico, Tereftalato de Dimetilo, Etilenoglicol e Tri-Acetato de Antimônio como catalizador. Não possui tecnologia de conforto térmico e, consequentemente, oferece menos respirabilidade. Resumindo, esses nomes esquisitos são substâncias químicas que podem ser agentes de alergias, se usarmos uma roupa de poliéster por um tempo muito prolongado.

Tecidos e malhas feitos com fios de fibras de poliéster são muito usados na indústria de confecção.

Vantagens
  • Boa resistência à luz e ao uso;
  • Não amassa;
  • Fácil tratamento;
  • Boa elasticidade;
  • Resiste à maior parte dos produtos químicos;
  • Seca rapidamente.

 

Desvantagens
  • Tem toque áspero;
  • Esquenta muito;
  • Tem tendência a formar “bolinhas” com o uso;
  • Desbota quando exposto ao sol;
  • Não absorve umidade;
  • Encolhe com o calor.

 

Nós moramos em Fortaleza e aqui o clima é quente a maior parte do ano. A Julia sempre foi muito sensível ao calor e em dias mais quentes, é comum aparecer alguma irritação na pele, principalmente quando ela usa alguma roupa mais fechada. Por isso eu sempre optei por conjuntinhos mais leves de algodão para tomar sol e na hora de entrar na água, sempre preferi usar só a fraldinha de banho.

Agora ela já tem 3 anos e vai começar a natação na escola, o que justifica a compra de uma maiô para entrar na piscina. Antes do 3 anos de idade, a pele da criança ainda é muito sensível, mas cada criança reage de forma diferente. Como ela já tinha apresentado irritação em contato com algumas peças de roupa eu não quis arriscar e preferi esperar até agora, para comprar uma roupa de banho sintética.

 

A importância da absorção da umidade

Um importante fator que devemos levar em consideração é a capacidade de absorção do tecido. Em outras palavras, quando permanecemos muito tempo com uma roupa no corpo no clima quente, o nosso corpo transpira e dependendo do tecido, o suor pode demorar muito para secar. Quando o suor fica muito tempo entre a nossa pele e o tecido, há uma rápida proliferação de fungos e bactérias que podem causar desde irritações, até alergias e micoses.

Vamos comparar a absorção de água (no caso, suor) entre os tecidos?

Algodão: 11% de absorção. Isso quer dizer, que o suor enxuga bem rápido.

Poliamida: 4% de absorção. O suor demora mais para enxugar, porque o ar não consegue penetrar na fibra do tecido.

Poliéster: 0,5% de absorção. Praticamente não há circulação de ar dentro da roupa de poliéster.

 

Se levarmos em conta a absorção, o algodão é a melhor opção de tecido para crianças, principalmente em climas quentes. Por outro lado, quanto mais água o tecido absorve, mais pesado ele fica e mais molhado também. Se a roupa for usada só para brincar na areia, o algodão é uma excelente escolha, mas não dá para ficar muito tempo com uma roupa de algodão molhada, porque como ele absorve muita água, vai demorar mais para enxugar também.

A fibra mais indicado para uma roupa que vai passar mais tempo no corpo, seria a Poliamida porque atualmente ela conta com os fios que garantem excelente respirabilidade da pele, facilitando a transferência do calor e do suor do corpo para o exterior, além de conforto, maior leveza à roupa e secagem rápida.

 

Fraldas de banho

Assim como as crianças mais velhas, os bebês precisam usar fralda sempre que estiverem na piscina. Veja abaixo as opções disponíveis:

  • Você  pode comprar fraldas descartáveis específicas para uso na água.
  • Também existem fraldas para banho reutilizáveis em lojas especializadas. Elas podem ser usadas diversas vezes depois de terem sido lavadas.
  • É importante lembrar que as fraldas de banho não impedem que os vazamentos ocorram, elas só ajudam a conter a urina por um curto período de tempo. A fralda deve ser trocada regularmente.
Fraldas de piscina

O que eu recomendo

A maioria das roupas de banho infantis comercializadas, são feitas com fibras sintéticas, que contém elastano em sua composição, para se adaptar facilmente ao corpo.  Porém, na minha opinião, esse tipo de tecido não é recomendado para bebês e deveria ser usado apenas crianças um pouco maiores, pois pode causar incômodos, irritações ou assaduras.

Bebês não devem passar muito tempo na praia ou piscina e como passam mais tempo sentados ou deitados, o risco de irritações e assaduras é maior. Para bebês muito novinhos, não há necessidade de usar roupa de banho colante (tipo Lycra). Concordo que o bebê fica muito fofo com roupinha de banho, principalmente as meninas de maiô, mas o que vale é o bom senso.

O mais indicado para crianças menores de 3 anos, é usar apenas tapa fraldas e um chapéu para proteger o rosto durante o tempo que estiver se expondo ao sol. O ideal para crianças menores que ainda usam fraldas é usar uma fraldinha própria para banho somente durante o tempo que a criança está na água, porque depois disso, a criança deve ser trocada sem demora, para evitar assaduras. Se a criança apresentar algum tipo de irritação em contato com a roupa de banho sintética, uma boa opção são conjuntinhos bem leves, próprios para banho de sol, em tecido ou malha 100% algodão. O algodão não seca tão rápido, por isso, esse tipo de roupa também devem ser trocada logo após o banho.

Conjunto tapa fralda e chapéu

 

 

Se você não quer abrir mão de comprar um maiô ou biquíni de material sintético para sua menininha, ou uma sunguinha para o seu menino, você pode vestir, para tirar muitas fotos e depois trocar por uma roupinha mais confortável. É importante observar com atenção se o elástico está marcando a pele ou se há algum tipo de irritação. Na hora do banho, caso perceba que a criança está desconfortável, tire imediatamente e a deixe o mais à vontade possível.

As crianças maiores que já deixaram as fraldas e já passam mais tempo na água ou brincando na areia, não há tanto problema em usar roupas de banho tipo maiô, biquíni ou sunga, de preferência em poliamida. Nessa fase, as crianças se movimentam mais, correndo, jogando bola, entre outras atividades que permitem que a roupa seque mais rapidamente. Mas mesmo as crianças maiores, podem apresentar irritações se passarem um longo tempo com uma roupa molhada em contato com a pele.

 

 

Maiô em poliamida com elastano

 

 

A regra de dar um banho com água doce, secar e trocar as roupa de banho por uma roupa seca, vale para crianças de todas as idades. A diferença é que os bebês, por terem uma pele muito mais sensível, devem ser trocados imediatamente após o banho, já crianças maiores, podem até brincar um pouco mais na água ou na areia antes de trocar a roupa.

Para a prática de esportes aquáticos, como natação, é recomendado uma peça básica, sem muitos detalhes, para não atrapalhar os movimentos.  Sungas com laterais mais largas e maiôs com alças cruzadas nas costas proporcionam mais conforto.

Maiô para natação

As roupas para ficar à sombra (saídas de banho) também devem ser leves e de preferência, de algodão. Não é aconselhável usar roupas pesadas, sintéticas ou muito fechadas, pois elas podem provocar assadura devido ao calor. O uso de chapéus e bonés também é importante, para proteger os olhos da claridade.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz