Ser feliz é um exercício diário

Tem uma época da nossa vida que finalmente entendemos que se a gente quer mesmo ser feliz, não podemos deixar que coisas pequenas estraguem nosso dia. Hoje em dia, fazer tempestade em copo d’água eu deixo pra Julia fazer, porque afinal, ela é criança. Eu não dou mais tanta importância a coisas que antes roubavam a minha paz. Hoje, me importo somente com o que é, de fato, importante e me deixa feliz.

Quando as coisas não saem como queremos, não adianta reclamar e nada fazer para mudar. Não adianta se lamentar sobre as coisas que a gente poderia ter, não adianta gastar energia  comparando nosso sucesso ao dos outros.
Cada um tem a sua jornada, o nosso caminho talvez seja mais difícil do que o de outras pessoas, ou talvez não. 

Felicidade completa seria a solução para todos os nossos problemas, se por algum motivo desconhecido, uma mágica tudo se tornasse perfeito. Mas é preciso entender que existem coisas que estão fora do nosso controle e as coisas não são perfeitas o tempo todo. A felicidade pode ser confundida com posse de bens materiais, sucesso e poder. Mas se a gente acreditar nisso, com certeza vamos nos frustrar.

A verdadeira felicidade está escondida em pequenos momentos ao longo do nosso dia e se a gente se permitir e tiver paciência, pode ir juntando cada pedacinho e ser sempre feliz. Eu me sinto feliz toda vez que a Julia sorri,  quando abraço meu marido, quando falo com uma pessoa querida, mesmo que à distância.

A gente pode ser feliz assim, um pouquinho a cada dia. Quando a gente descobre o que realmente nos deixa feliz, fica mais fácil, porque a felicidade vem de dentro pra fora. No meio da correria do dia a dia, quando me sinto muito cansada, gosto de levar a Julia pra brincar em algum lugar agradável. Só de vê-la correndo, sorrindo e fazendo novos amiguinhos, fico com o coração transbordando de tanta alegria. Por isso sempre repito a dose mais uma vez, e outra e outra…

A vida adulta pode ser difícil, a vida de mãe então, nem se fala. Mas se a gente focar só no que é negativo, caímos na armadilha da negatividade e no ciclo vicioso de reclamar de tudo e ver sempre o lado ruim das coisas. Mesmo que às vezes as coisas fiquem difíceis, o melhor que fazemos é ter fé de que o melhor ainda está por vir, e quando vier vai ser muito mais do que a gente imaginou. Eu quero viver um dia de cada vez, arriscar, aceitar o desconhecido, porque de um jeito ou de outro os resultados vão chegar. Nesse caminho, se a gente não aprender a rir de tudo e ser feliz no processo, podemos deixar escapar  a melhor parte de tudo. 

“Nunca se esqueça de sorrir, pois um dia sem um sorriso é um dia perdido.”
– Charles Chaplin –

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz