Tecidos sintéticos: o perigo escondido no armário das crianças

A maioria dos pais não conhece os tipos de tecidos e não tem o hábito de observar a etiqueta com a composição dos tecidos das roupas que compram para seus filhos. Lavar o produto antes de usá-lo pela primeira vez é outro hábito pouco comum. Pode parecer exagero, mas, práticas simples como essas podem prevenir que o consumidor prejudique a sua saúde ao usar uma roupa nova.  O fato é que devemos prestar mais atenção ao comprar roupas para nossos filhos e para nós também. Apesar da recomendaçao do INMETRO para utilizaçao de tecidos de fibras naturais para fabricaçao de vestuário infantil, ainda há muitas roupas no mercado feitas com tecidos sintéticos, principalmente fantasias e roupas de festa.

Muitas marcas de artigos infantis fabricam seus produtos em países com a India, China e outros, devido a custos mais baixos e lucros maiores. Essa prática tem muitas desvantagens para o consumidor, pois são utilizados muitos produtos químicos para proteger as roupas contra o mofo durante a armazenagem e o transporte, sem falar que não há garantia de que as matérias-primas sejam de boa procedência. A organização Green Peace, vem alertando o público sobre os riscos. Infelizmente os fabricantes não falam nada sobre isto, mas estes produtos podem acarretar sérias doenças desde alergias, asma, rinite, entre outros problemas mais sérios. Mesmo os tecidos de fibras naturais, como o algodão, são tratados com pesticidas, enquanto eles são cultivados, e alguns desses pesticidas permanecerão nas fibras. Por isso recomenda-se verificar a procedência. Tecidos orgânicos estão se tornando mais amplamente divulgados e podem ser encontradas mais facilmente no mercado.

Tecidos Sintéticos e o uso de produtos químicos

Os produtos químicos usados em roupas sintéticas têm sido associados a problemas de saúde, incluindo câncer, leucemia e outras doenças degenerativas, danos ao sistema imunológico, problemas de comportamento e perturbação hormonal. Por isso recomenda-se evitar o uso de fibras sintéticas como: Acrílico, Poliéster, Rayon, Acetato, Triacetato e Nylon. Artigos feitos com tecidos sintéticos, como toalhas, roupa de cama, roupas íntimas, entre outros, são tratadas com produtos químicos, durante e após o processamento.

O Dr Richard Dixon, chefe do World Wildlife Federation (WWF) da Escócia, alerta: “O uso de produtos químicos sintéticos está aumentando, e ao mesmo tempo temos sinais de aviso de problemas com a Natureza e os problemas de saúde humana estão se tornando mais comuns”. Segundo ele, é imprudente sugerir que não há ligação entre os dois problemas e o uso indiscriminado de produtos químicos, e alerta sobre a  necessidade urgente de substituir produtos químicos perigosos por alternativas mais seguras, especialmente em roupas e outros produtos de consumo”.

A WWF vem alertando desde 2004, principalmente os pais, a verificar as etiquetas ao comprar roupas para seus filhos. A preocupação é com os produtos químicos que são utilizados na fabricação e beneficiamento desses tecidos, como os perfluorados (PFCs), que incluem o aditivo antiaderente Teflon (DuPont). Estes produtos químicos são cada vez mais aditivados as roupas, com o objetivo de que o tecido dure mais tempo e amasse menos. A maioria das roupas rotuladas com “não passar o ferro” contém PFCs. Nos EUA, a Environmental Protection Agency (Agência de Proteção Ambiental – EPA) diz que os PFCs são compostos alergênicos e cancerígenos. No entanto, roupas com tecidos “sem rugas” que trazem a indicação de “não passar ferro” tornaram-se populares principalmente nos uniformes escolares, roupas esportivas e para o dia-a-dia. “Sem saber, os pais estão expondo seus filhos a substâncias tóxicas em roupas que podem ter graves consequências futuras para a sua saúde e ao meio ambiente. Crianças são geralmente mais vulneráveis aos efeitos dos produtos químicos do que os adultos, então a presença dessas substâncias em roupas é particularmente alarmante”, diz o Dr. Dixon.

Um estudo recente divulgado pelo Greenpeace, intitulado Dirty Laundry (Roupa Suja), revelou que roupas e sapatos de 14 marcas conhecidas, adquiridas pela ONG em lojas de 17 países, contêm substâncias químicas tóxicas que afetam os hormônios femininos. A substância Etoxilato de Nonilfenol (NPE), usada como detergentes na indústria, que é proibida na produção de têxteis na União Europeia e nos Estados Unidos, foi encontrada em produtos de marcas famosas.

2132618716_3a354f8830_z
Tecidos feitos com fibras naturais são mais aconselhados para roupas infantis.

Como isso afeta a nossa vida

Você pode estar se perguntando como tudo isso interfere na sua vida. Na verdade, quando você compra uma roupa para seu filho ou para você, a escolha do tecido pode significar uma grande diferença para o meio-ambiente. A American Chemical Society desenvolveu uma pesquisa e constatou que a lavagem de roupas feitas de tecidos sintéticos está contribuindo com a poluição dos oceanos e afetando a saúde da fauna marinha.

Materiais como viscose, acetato, poliéster, acrílico e nylon são apontados como as principais fontes das partículas poluidoras. Foi descoberto através desse estudo que quando passam por processos de lavagem, esses tecidos soltam “microplásticos” presentes em suas composições, afetando a integridade de ecossistemas e o organismo dos animais marinhos.

Quando os cientistas estudaram a origem das partículas encontradas em praias próximas a estações de tratamento de águas residuais em dezoito regiões litorâneas de todos os continentes, descobriram que entre a composição química das substâncias encontradas, três quartos são de poliéster, e o resto é formado por poliamida, polipropileno e acrílico. Pelas características das partículas foi comprovado que se trata de resquícios de tecidos sintéticos liberados durante a lavagem. Os experimentos demonstraram que uma única peça de vestuário pode liberar mais de 1.900 fragmentos por lavagem!

Todos os tecidos sintéticos são tratados com produtos químicos, durante e após o processamento. Estes produtos químicos não só vaza para o meio ambiente, deixando um impacto sobre as águas subterrâneas, fauna, ar e solo, mas também pode ser absorvido ou inalado diretamente. A rede de abastecimento de água não consegue eliminar estes produtos da água que bebemos. Isso com certeza é um problema preocupante.

Já existem novas pesquisas em andamento para desenvolver tecnologias capazes de reduzir as emissões de micro plástico nas redes de esgoto. Vivemos uma época em que as atenções se voltam para o impacto que nossas roupas causam no meio ambiente, na nossa saúde e no bem-estar dos animais.

 

 Perigo Invisível
• Os produtos químicos são utilizados para tornar as fibras adequada para fiação e tecelagem;
• Poduto formaldeído é muitas vezes aplicado para evitar o encolhimento. Este produto é aplicado com calor, de modo que é preso de forma permanente na fibra;
• Corantes Petroquímicos, que poluem cursos d’água, são usados para dar cor;
• Os produtos químicos são adicionados para tornar mais suave a roupa, livre de rugas, retardador de fogo, repelente a traça e resistente a manchas;
• Produtos químicos comumente usados incluem compostos orgânicos voláteis (VOCs), BPA e dioxinas;
• Nylon e poliéster são feitos a partir de produtos petroquímicos, cuja produção gera óxido nitroso, um gás de estufa que é 310 vezes mais potente do que o dióxido de carbono;
• Rayon é feita a partir de polpa de madeira tratada com produtos químicos, incluindo soda caustica e ácido sulfúrico;
• Fixadores corantes usados em tecidos muitas vezes vêm de metais pesados e poluem sistemas de água e retornam pelo sistema de abastecimento de água;
• Tecidos acrílicos são polycrylonitriles, são cancerígenas;
• Vestuário e tecido tratados com produtos químicos retardantes de chama, como pijamas infantis, emitem gás formaldeído.

 

O grande problema é que as etiquetas não informam sobre estes aditivos e o consumidor, na maioria das vezes, não tem como se defender.Diante de um problema tão grave e pouco divulgado, você deve estar se perguntando como se resguardar desses perigos. Nós temos que nos tornar consumidores mais conscientes e prestar mais atenção na hora de comprar roupas. Adquira o hábito de olhar a composição dos tecidos e o local de fabricação nas etiquetas das roupas; dê preferência a produtos nacionais; se for adquirir um produto importado, evite os fabricados em países como China e Índia, onde não há regulamentação para o uso de produtos tóxicos; sempre que possível, opte por tecidos feitos com fibras naturais ou orgânicos, que são opções mais seguras quando se trata de saúde.

Adotando essas atitudes, você pode evitar problemas de saúde para você e sua família. Além disso, ganha o nosso guarda-roupa, pois teremos peças de maior qualidade e ganha o meio ambiente, pela redução do consumo de tecidos sintéticos. Pense nisso!

Leia também: Conheça os tecidos mais indicados para roupas infantis

Links:

Dirty Laudry: http://www.greenpeace.org/international/Global/international/publications/toxics/Water%202011/dirty-laundry-report-2.pdf

WWF: http://www.wwf.org.br/

EPA: http://www3.epa.gov/

Deixe um comentário

8 Comentários em "Tecidos sintéticos: o perigo escondido no armário das crianças"

Notify of
avatar
Sort by:   newest | oldest | most voted
trackback

[…] Já falei aqui no blog sobre os riscos dos tecidos sintéticos para crianças e da importância em optar por roupas de fibras naturais. Mas como sempre, o bom senso é o melhor caminho para as nossas escolhas. […]

trackback

[…] Publicado originalmente no blog It’s a Girl por Tânia Neiva […]

trackback

[…] Tecidos sintéticos: o perigo escondido no armário das crianças […]

trackback

[…] Perigos dos Tecidos Sintéticos […]