Escolha a roupa certa para cada idade

Toda mãe adora comprar roupinhas para o seu bebê, não é mesmo? Afinal, que mãe não deseja deixar o seu filho ainda mais fofinho? Mas comprar roupa infantil nem sempre é uma tarefa fácil. A grande oferta de modelos e a variação nas medidas pode levar a comprar peças erradas que precisarão ser trocadas. Roupa de criança tem que ser de qualidade, o que não tem nada a ver com marca ou preço. Quando eu falo de qualidade, estou me referindo a peças feitas com tecidos adequados e bom acabamento, o que torna a roupa mais segura e resistente. Você deve aprender a reconhecer uma peça de qualidade antes de comprar o enxoval do bebê.

Quando for fazer as compras do enxoval é importante levar em consideração a estação do ano em que o bebê vai naser. Muitas vezes a criança nasce no verão, mas depois de três ou quatro meses o tempo ica mais frio. Além disso, escolher tamanhos que serão usados por mais tempo pela criança podem fazer diferença na economia. Compre roupas para a vida real, pois no dia-adia a criança não vai vestir nada muito elaborado. Roupas de festa e fantasias são usadas poucas vezes, por isso é melhor alugar, a menos que você queira muito guardar a peça de lembrança.

Para facilitar na escolha das roupinhas do seu bebê, reuni aqui algumas dicas úteis. Vire a peça do avesso e analise a qualidade da roupa e observe os seguintes quesitos:

  • O tecido é adequado para a época em que a roupa será usada?
  • Os botões ou pressões estão bem presos?z
  • A modelagem é confortável?
  • As costuras estão bem-feitas?
  • Os acabamentos são delicados?
  • Tem algum detalhe áspero ou algum aviamento que possa arranhar a pele?

Numeração

O Brasil segue uma tabela (veja abaixo) criada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que é o Foro Nacional de Normalização. O objetivo é estabelecer um sistema de indicação de tamanhos que apresente, de forma direta e de fácil compreensão, as medidas corporais de crianças. Em novembro de 2009, a ABNT publicou a NBR 15800, que apresentou as normas de vestibilidade para confecções infantis. O documento contém 24 medidas (entre elas tórax, cintura e quadril) que ajudam as confecções de moda infantil a padronizar suas grades de tamanhos. As fábricas não são obrigadas a seguir essa tabela, ela é apenas uma sugestão para que se chegue a um padrão.

TABELA de Referência para confecção infantil ABNT – relação de tamanho e idade da criança

01a2cd8db76a6b73cc733e037fdfc99d
Clique na imagem para ampliar

 

Roupa certa para cada idade

 

De 0 a 3 meses
Nos três primeiros meses, a pele do bebê é muito sensível, pouco resistente, sendo mais suscetível a irritações e alergias. Os vasos sanguíneos que irrigam a pele ainda não estão totalmente desenvolvidos, por isso, os bebês não conseguem regular sua temperatura corporal e têm as mãozinhas e pezinhos mais frios do que o resto do corpo. Por isso, devem ser escolhidas peças de corte largo e simples, sem golinhas apertadas, enfeites, zíperes, capuz, entre outros detalhes, que podem incomodar ou machucar o bebê, que passa a maior parte do tempo deitado.

As roupinhas devem ser fáceis de colocar e de tirar para não machucar ou irritar o bebê na hora da troca. Escolha peças com botões de pressão distribuídos nas laterais das pernas e de preferência, modelos com ombros transpassados, que passam mais facilmente pela cabeça. Nessa fase, dê preferência para os modelos abotoados na frente que são mais fáceis de vestir, pois os bebês até três meses ainda não têm a cabeça muito firme. Os tecidos devem ser de fibras naturais, como algodão. Tecidos sintéticos não são recomendados, por impedir a respiração da pele e oferecer o risco de causar irritações e alergias. Também não são indicados tecidos felpudos, como veludos e lãs, pois soltam muitos fiapos e também podem provocar alergias.

Embora o senso comum seja o de que os bebês sintam mais frio que os adultos, na verdade, eles perdem mais calor pelo fato de a sua pele ser muito fina. Por isso, nos dias muito quentes basta um body sem manga, deixando livres bracinhos e perninhas. Quando sente frio, o bebê geralmente espirra, soluça e tem as extremidades de seu corpinho mais frias. Aí é só colocar um casaquinho, meias ou uma calça com pé.

 

De 3 aos 6 meses
Nessa fase, embora ainda não se mantenha sentado sem apoio, o bebê já começa a se movimentar bastante e muda de posição sozinho. As roupinhas devem continuar práticas, folgadas, confortáveis, fáceis de tirar e de vestir e confeccionadas em tecidos de fibras naturais. As roupinhas mais elaboradas como vestidinhos são desconfortáveis e devem ser reservadas mais para ocasiões especiais. As peças de cores claras são as mais recomendadas para uso ao ar livre, principalmente em dias de sol, porque cores escuras absorvem mais luz e, portanto, são mais quentes. Outro aspecto a ser observado é o acabamento das costuras, bordados e apliques. Tudo tem que ser muito delicado para não causar desconforto, alergias e irritações na pele do bebê.

 

De 6 meses a 1 ano
Nesse período o bebê começa a se sentar, engatinhar e andar, portanto, estará sempre em movimento. Mais do que nunca, o bebê precisa de roupinhas confortáveis e práticas. O ideal, segundo especialistas, é que as peças não dificultem os movimentos. Para engatinhar, reserve calças mais resistentes, para proteger o joelho do atrito com o chão. Em lugares de clima quente, pode-se optar pelas joelheiras de malha de algodão.

Por se movimentarem o tempo todo, nessa fase os bebês não sentem tanto frio e precisam de menos agasalho. Em dias quentes, fralda e camisetinha ou macacões curtos são mais do que suficientes. As crianças se sentem incomodadas com muitos recortes e detalhes, por isso, continua a recomendação de cortes simples. Uma boa pedida são conjuntinhos de duas peças, que reúnem conforto, praticidade e apelo estético.

Pela minha experiência como mãe, nessa fase os bebês não gostam muito de sapatos nos pés, o que frustra muitas mamães. Como os pezinhos ainda são muito delicados, eu recomendo as meias com sola, que imitam sapatinhos e são muito confortáveis.

 

De 1 a 3 anos
A partir do primeiro ano, o bebê aprende a andar, a subir e descer escadas, cadeiras, sofás. Nessa época, o uso de meias e sapatos antiderrapantes garante mais conforto e segurança. Continuam as mesmas recomendações para a escolha das roupas, que devem ser práticas, confortáveis e resistentes. Nessa fase as crianças já não perdem roupa tão rápido e você já pode investir em modelos mais diversificados.

As crianças mais crescidinhas podem começar a demonstrar interesse em escolher suas próprias roupas. Participar na escolha das roupas e aprender a vestir-se sozinha representa um importante marco de independência. Nessa fase ajude seu filho a escolher o que vai vestir e ensine-o a usar o bom senso nas suas escolhas. Nem sempre comprar uma roupa com o personagem preferido é a melhor escolha. Ajude-o a refletir sobre o que é mais importante levar em consideração na compra de uma roupa. Ensine-o que conforto e qualidade são importantes e que devemos comprar apenas roupas que realmente vamos usar no dia-a-dia. O mercado de vestuário infantil nem sempre segue as normas de segurança e é preciso ficar alerta.

 

Saiba mais sobre normas de segurança para roupas infantis:

Normas de Segurança para Roupa Infantil

Como Comprar Roupas para o Bebê com Segurança

 

Você pode dar sua opinião, compartilhar a sua experiência ou tirar dúvidas sobre esse assunto, deixando o seu comentário no espaço abaixo. Fique à vontade!

 

Conheça a Petit Box – Uma caixinha de surpresas para mamães e bebês.

 

Deixe um comentário

1 Comentário em "Escolha a roupa certa para cada idade"

Notify of
avatar
Sort by:   newest | oldest | most voted
trackback

[…] ESCOLHA A ROUPA CERTA PARA CADA IDADE […]

wpDiscuz