Brincar é um direito de toda criança

Brincar estimula o desenvolvimento físico, cognitivo e emocional, além de promover valores culturais, bem como a socialização e o convívio familiar. É brincando que a criança descobre o mundo, testa suas habilidades e competências, aprende regras de convivência com outras crianças e com os adultos, desenvolvendo diversas linguagens e formas de expressão.

Brincar é tão importante para as crianças que já virou um direito. O artigo 31 da Convenção dos Direitos da Crianças das Nações Unidas (ONU) reconhece o direito da criança de brincar e participar de atividades recreativas e culturais. Esse direito é apoiado pela Rede Nacional pela Primeira Infância, que tem como meta implementar até o ano 2022 o Plano Nacional da Primeira Infância, que visa proporcionar às crianças a garantia de vários direitos, entre estes o direito de brincar.

Brincar  proporciona entretenimento e ao mesmo tem um papel educativo, pois embora pareça só diversão, é o momento em que a criança está se desenvolvendo. Também auxilia no desenvolvimento das habilidades físicas e mentais que são necessárias mais tarde na vida. Os primeiros anos de vida da criança são muito importantes para esse desenvolvimento e  por isso devemos estimular os sentidos e a curiosidade do bebê sobre o mundo.

Para brincar, uma criança não precisa necessariamente de brinquedos sofisticados, apesar de os brinquedos terem a sua importância para o desenvolvimento infantil. Porém, o mais importante não são os brinquedos, mas a qualidade do tempo em que a criança passa brincando, seja com adultos ou com outras crianças.

A escolha de espaços adequados às brincadeiras também é de essencial importância. O ideal é que sejam limpos, arejados e seguros. Os espaços externos têm a vantagem de oferecer condições para desenvolver vários tipos de atividades e oportunidades de socialização. Brincar em espaços externos beneficia a criança, física, social e emocionalmente, contribui para a formação de vínculos afetivos positivos e dá a sensação de prazer e bem-estar para toda a família.

Cartaz da campanha pelo direito de brincar da Rede Nacional pela Primeira Infância
Cartaz da campanha pelo direito de brincar da Rede Nacional pela Primeira Infância

Os espaços de lazer externos também dão oportunidades para a criança caminhar, brincar de pular, correr, escorregar, escalar, entre outras atividades que exigem uma participação ativa. Espaços que proporcionam  contato com a natureza tem efeitos positivos para as crianças por serem mais relaxantes.

Os adultos também devem encorajar a participação ativa das crianças com o seu bairro, visitando os lugares, passeando pelas ruas, coversando sobre a história dos lugares que a criança mais freqüenta, etc. Devemos fazer um esforço para proporcionar experiências de qualidade para nossos filhos,brincando junto com eles e participando dessa fase, que passa tão rápido.

Hoje em dia a longa jornada de trabalho dos pais, a violência urbana, a falta de espaços de lazer e as novas tecnologias afetaram o modo de brincar das crianças, que ficam muito tempo dentro de casa, com pouco contato com a natureza. Vale a pena reservar um tempo e sair de casa para brincar em algum lugar agradável com nossos filhos. Além de boas ecordações, isso com certeza terá um efeito positivo no seu desenvolvimento!

Várias organizações tem feito esforços para garantir o direito de brincar. Podemos fazer a nossa parte conhecendo mais essas ações e divulgando, com o intuito de que esse direito seja garantido e respeitado na nossa sociedade.

 

Saiba mais:

Guia do Brincar produzido pela Rede Nacional pela Primeira Infância 

Plano Nacional pela Primeira Infância

Associação Brasileira pelo Direto de Brincar e à Cultura (IPA)