Normas de segurança para brinquedos

Desde que a Julia nasceu que eu passei a olhar para os brinquedos com outros olhos, com olhos de mãe. Muitas vezes me pequei mordendo, apalpando ou chacoalhando um brinquedo pra ver se não soltava nenhuma parte pequena. Parece uma obssessão, mas não é. Existem muitos brinquedos no mercado que podem oferecer perigo para as crianças. Pesquisando, descobri vários desses perigos e achei importante compartilhar aqui com vocês. Você sabe quais são as normas de segurança para brinquedos?

Você deve verificar, antes da compra, se o brinquedo escolhido tem o selo de certificação do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), que testa e aprova todos os produtos disponíveis no mercado. Outra coisa importante é analisar o rótulo para descobrir se não há nenhuma substância tóxica em sua fórmula, pois alguns brinquedos que foram aprovados pelo Inmetro tinham substâncias tóxicas e nem sempre a lista é atualizada rapidamente. Outra sugestão é evitar brinquedos com formas e cheiros que imitem alimentos, porque as crianças tendem a engoli-los, e objetos com ruídos excessivos, porque podem causar sérios danos à audição.  Também é preciso verificar se o brinquedo não solta peças, porque a criança pode engoli-las.

Além disso é importante se certificar se o rinquedo está de acordo com a idade da criança, pelo selo de indicaçã d Inmetro contido na embalagem. A Secretaria de Saúde alerta ainda para a necessidade de atenção redobrada aos brinquedos com partes cortantes ou pontiagudas, que podem ocasionar ferimentos e aos que que possam levar a sufocamento (cordas, balões ou peças muito pequenas) ou que possam provocar choque elétrico. Por último, deve-se verifique o prazo de validade do produto.

 

O INMETRO disponibiliza em seu canal do Youtube uma série de vídeos para esclarecer adultos e crianças sobre a segurança dos brinquedos. Confira abaixo: